Educação continuada nas PME na Era do Conhecimento

Educação continuada tornou-se imprescindível para os profissionais das PME desenvolverem competências básicas e avançadas via plataformas com investimentos muito acessíveis, no entanto o nível da força de vontade e da disciplina do indivíduo são pilares essenciais para a ampliação da inteligência, nesta Era do Conhecimento.

De que modo as PME podem potencializar o desenvolvimento dos profissionais? A prática compulsória e comum, mas insuficiente para suprir às exigências do novo mundo dos negócios, é oferecendo cursos diretamente relacionados à área de atuação. Contudo, na Era do Conhecimento as PME precisam disponibilizar cursos de múltiplas áreas a todos gestores, coordenadores e supervisores, possibilitando que os profissionais de modo voluntário escolham diferentes competências alinhadas ao plano de autodesenvolvimento.

O investimento é viável para uma PME, exigindo mudança de paradigma dos próprios gestores e empreendedores. Na Era do Conhecimento a mente valiosa cultiva o raciocínio sistêmico e a inteligência de interface e de contexto. O que foi uma opção no passado torna-se uma exigência atual que pode ser atendida, por exemplo, pela PME Academy que disponibiliza a plataforma http://pmeacademy.srv.br com cursos de diversas áreas através de assinatura extremamente acessível para empresas, empreendedores e gestores, conforme o link https://pmeacademy.com.br/planos_e_precos/. Assim, fica a critério do profissional escolher o que mais deseja aprender para evoluir cognitivamente.

Era do conhecimento exige profissionais disciplinados e com força de vontade aderentes à educação continuada, nas PME.

A assinatura da plataforma dá acesso a cursos de múltiplas áreas, muito diferente de outras épocas em que estudar era caro, restrito à especialidade e com hora marcada. O conhecimento formal, seja técnico, formação ou pós-graduação continua sendo inquestionável, contudo alcançar o conhecimento pragmático e complementar é fundamental neste século XXI.

Howard Gardner, psicólogo e educador norte-americano chegou a conclusão que a inteligência de todas as pessoas precisa cultivar cinco tipos de mente: a disciplinada, a sintetizadora, a criadora, a respeitosa e a ética, enfatizando que o indivíduo se dará conta de que é um eterno aprendiz, tirando proveito do processo de aprendizado exigido por estar no mundo. E a educação continuada via plataforma nas PMEs aponta, descomplica e alicerça o caminho, sendo livre-arbítrio percorrê-lo ou não, no entanto estas cinco mentes se esboçam com autodidatismo e conhecimentos além da área de atuação profissional.

Vale conferir!

 

Como o seu negócio atende ao desafio do desenvolvimento das pessoas?

Defender que treinamento e desenvolvimento é um dos pilares para o sucesso das organizações, não é novidade alguma. Existe consciência em quem empreende, de que o crescimento dos resultados passa pelo crescimento das competências do time e essas, por sua vez, precisam estar intimamente alinhadas com as estratégias do negócio.

Certamente se percebe, nas últimas décadas, uma maior dedicação das empresas em desenvolver os seus colaboradores. Entre vários fatores que contribuem para este aumento, destaco o crescimento da oferta de cursos de curta, média e longa duração (incluindo aí os cursos técnicos e superiores) e o incremento da tecnologia, permitindo cada vez mais a flexibilização desta oferta, com destaque a prática do ensino à distância.

Estes avanços têm permitido às empresas e profissionais exercerem maior preparo para os desafios do mundo corporativo. Entretanto, ainda há significativa distância entre o discurso e a prática efetiva. Como contribuição ressalto três aspectos a serem observados para que se aumente essa efetividade:

  1. Quais competências chave da organização necessitam de constante desenvolvimento? Por exemplo, se o negócio é uma oficina mecânica, conhecer sobre as atualizações tecnológicas dos automóveis é essencial para a entrega dos serviços prestados, mas também saber para onde está indo o mercado de automóveis é fundamental para a perenidade do negócio.
  2. Como identificar claramente quais são as necessidades de capacitação da empresa? A origem das necessidades vem dos processos da empresa, o que nos leva à equação: (“o que precisa ser feito” + “quais competências necessárias para fazer”) – (qual o nível de competência atual de cada pessoa da equipe”) = “lacunas de necessidades de capacitação da equipe”.
  3. Como definir as prioridades de capacitação e quem deve ser preparado? Quanto as prioridades, a relevância está no que gera mais impacto direto no resultado. Já quanto a escolha de quem deve ser preparado pode estar associado diretamente às funções exercidas, como também ser um modo de reconhecimento ao profissional. Assim capacita-se com mais objetividade e se otimizam os recursos investidos.

O efeito dessas ações na organização é o fortalecimento da cultura do aprendizado contínuo. Tão relevante quanto reter os talentos é reter, atualizar e disseminar o conhecimento corporativo. Todas as empresas têm a cada ciclo diário, semanal, mensal… a oportunidade de aprender com o resultado do seu desempenho e, com isso, transformar a empresa em um ambiente que aprende e ensina permanentemente.

Desejo sucesso nessa jornada!