PDI e o propósito de vida se relacionam

O PDI – Plano de Desenvolvimento Individual – e o propósito de vida, quando se relacionam, apontam caminhos para otimizar a inteligência em direção à autorrealização profissional e à prosperidade pessoal. Esta relação possibilita manifestar a visão pessoal, fortalecendo a autoestima e a objetividade das escolhas no período executivo da vida, colhendo frutos na maturidade existencial.

Muitas vezes o PDI é apenas uma tarefa imposta pela organização para o profissional melhorar o seu desempenho. Contudo, se o indivíduo compreender a importância deste recurso para qualificar a sua postura diante da vida, participará conscientemente na elaboração do plano e proporá ajustes essenciais, introduzindo o que realmente faz sentido para o seu desenvolvimento.

E o mindset de autodesenvolvimento é ativado sem resistência, fazendo sentido para o indivíduo ser o protagonista da lapidação de sua inteligência, conforme detalhado no artigo https://pmeacademy.com.br/mindset-de-autodesenvolvimento-valoriza-profissionais/ .

O PDI – Plano de desenvolvimento Individual – e o propósito de vida, quando se relacionam, apontam caminhos para otimizar a inteligência em direção à autorrealização profissional e à prosperidade pessoal.

A compreensão do íntimo entrelaçamento entre o PDI e o propósito de vida revela a interdependência entre a vida pessoal e a trajetória profissional. Torna possível ao humano vitalizar a automotivação para buscar voluntariamente outros aprendizado além dos oferecidos pela organização, porque assume o protagonismo pelo seu autodesenvolvimento. A solução apresentada no artigo https://pmeacademy.com.br/pme-academy-online-solucao-para-profissionais-de-gestao-e-lideranca-nas-pme/ dá acesso simultâneo a várias áreas do conhecimento através de assinatura, favorecendo o desenvolvimento humano e organizacional.

A grande mestra de todos nós é a realidade que impõe diariamente a autoevolução, exigindo conhecimento com autoconhecimento. Pessoas, tarefas e o propósito de vida precisam ser harmonizados, por isso o foco no aprimoramento dos soft skills torna-se fundamental para o exercício da autoliderança e da influência inspiradora em todos os setores da vida.

Fica a dica para você pensar profundamente nesta relação. A educação é a chave para o lidar com as coisas do mundo, mas a autoeducação é o início da jornada evolutiva em direção à sabedoria.

Mindset de autodesenvolvimento valoriza profissionais

Um profissional com mindset de autodesenvolvimento potencializa o seu valor num mercado que busca quem manifeste inteligência pragmática e conceitual, diferenciando-o dos que desconhecem ou negligenciam os conceitos alavancadores de desempenho.

Profissionais que associam a prática à teoria qualificam a análise, o planejamento e a execução, conquistando um lugar diferenciado nas organizações de qualquer porte. A educação continuada dá vigor à inteligência humana para orquestrar as seguintes 5 mentes: disciplinada, sintetizadora, criadora, respeitosa e ética, conforme o artigo https://pmeacademy.com.br/educacao-continuada-nas-pmes-na-era-do-conhecimento-com-investimento-minimo/.

Frequentemente encontramos profissionais que possuem conhecimento prático, contudo se descuidaram ou não tiveram oportunidade de aprender os conceitos para qualificar ou avançar no raciocínio. Estes indivíduos podem muito mais se buscarem os esclarecimentos, caso contrário estarão limitando a própria escalada. Hoje o conhecimento está muito acessível para quem estiver disposto a aprender.

Um profissional com mindset de autodesenvolvimento potencializa o seu valor num mercado que busca quem manifeste inteligência pragmática e conceitual, diferenciando-o dos que desconhecem ou negligenciam os conceitos alavancadores de desempenho.

Cabe ao RH, DHO ou pessoas que inspiram os profissionais mostrarem a urgência de assumirem a responsabilidade pelo autodesenvolvimento. O profissional deve ser o protagonista da qualificação da sua inteligência, tanto nos aspectos técnicos quanto de autoconhecimento, aprimorando o autodiscernimento.

O raciocínio do indivíduo deve estar preparado para resolver os desafios do negócio e prosperar na vida. O profissional pragmático sem consistência de conceitos tende a “formalizar a informalidade”, combatendo, resistindo ou desconsiderando o modelo de gestão da organização.

Assumir e manter o mindset de autodesenvolvimento é o passaporte para a autonomia e empregabilidade. A evolução humana e a organizacional precisam formar um ciclo virtuoso, contudo é necessário um conhecimento com autoconhecimento para impulsionar a autoevolução do profissional e os melhores resultados do negócio, conforme detalhado no artigo https://pmeacademy.com.br/autoconhecimento-para-liderar-e-mandatorio/.

Boas reflexões e até breve!

Treinamento e desenvolvimento na PME como benefício para sua equipe!

Treinamento e desenvolvimento na PME como benefício para sua equipe!

Além de selecionar uma equipe que reúna habilidades e comportamentos alinhados com o propósito do negócio, um desafio relevante para o empreendedor é manter essa equipe em evolução constante, com o mínimo de rotatividade dos seus integrantes.

Nesse contexto, uma das práticas usualmente observadas é a oferta do chamado pacote de remuneração – composto pelo salário, benefícios regulares (para atender aspectos legais) e remuneração variável (participação em resultados).  No entanto, somente a remuneração como recompensa tente a tornar-se comum, diminuindo sua eficácia com o passar do tempo.

Por outro lado, para manter a equipe em constante evolução é essencial que se aumente suas competências. Assim, uma alternativa que pode reunir tanto o reconhecimento quanto a evolução dessas competências, é a oferta de planos sistematizados de treinamento e desenvolvimento.

Deste modo é fundamental dispor de ferramentas e elaborar uma comunicação que engaje as pessoas, associando a oferta de desenvolvimento como real benefício para sua formação e crescimento profissional.

Talvez neste momento, você empreendedor – proprietário ou executivo – de uma pequena ou média empresa, esteja se questionando: “mas como aplicar isso no meu negócio com a melhor relação de investimento e resultados?

É neste cenário que a PME Academy se apresenta para entregar soluções de desenvolvimento permanente à sua equipe, através de uma plataforma de cursos online e outros conteúdos (webinars, mentorias, podcasts,…), a um investimento que certamente caberá no seu orçamento e trará resultados consistentes para seu negócio.

Conte conosco nessa jornada!

Como seu negócio (re)age quando o assunto é aprendizagem?

Crises acontecem em todos os lugares a todo o momento. No contexto da gestão, crise é somente uma categoria de problema e o seu enfrentamento define o nível da nossa evolução. Historicamente, evolução da humanidade e das nossas relações, estreitou fronteiras culturais, comerciais e sanitárias.

A tal globalização – termo que nos parece antiquado ou desgastado – vem ganhando ondas de amplitude ao passo que nossos canais de comunicação evoluem. Da prensa de Gutemberg, passando pelo jornal, o telégrafo, o telefone, o rádio, a televisão, o fax, a telefonia celular até chegarmos na internet, estamos falando de pouco mais de 500 anos. Se considerarmos somente o tempo da televisão em diante, falamos de algo em torno de 95 anos e se pensarmos na internet com banda larga, pouco mais de 25 anos. E os smartphones então, recentes 10, talvez 15 anos de efetividade.

O cenário pandêmico que estamos vivendo em 2020 é consequência da nossa evolução, no meu entender. A última geração que viveu algo parecido, anda hoje pelos 100 anos de idade (são poucos para nos contar a história), sendo que àqueles tempos, a expectativa de vida era de 50 anos em média e hoje beira os 80 anos.

E o que isso tudo tem a ver com o seu negócio? Tem a ver em como ele aprende a cada ciclo. Todos os dias, semanas, meses, anos, o seu negócio cria a oportunidade de gerar um ciclo de aprendizagem. O que nos leva a alguns questionamentos: que aprendizados seu negócio está (de fato) usufruindo a cada ciclo? Como você sabe se seu negócio está em evolução ou em involução? O seu resultado é uma esperança ou é um objetivo a ser alcançado com ações definidas e ciclos de revisão para acompanhamento e aprendizado? Quais competências novas seu negócio precisa desenvolver e quais já não servem mais para a atualidade e precisam ser “desaprendidas”?

O cenário está posto. Podemos agir como espectadores ou como protagonistas. Podemos esperar que o mercado se mova ou escolher mover o mercado.

E o que fazer? Reflita sobre o que seu negócio aprendeu nos últimos anos que podem ser aplicados agora! Observe o que os seus clientes desejam nesse momento – que problemas eles querem resolver, o que eles mais precisam e o que seu negócio consegue entregar e/ou resolver para eles. Alinhe as expectativas do seu negócio com as necessidades e expectativas do seu cliente – isso contribuirá para uma melhor percepção de valor por parte do cliente e a construção de resultados mais consistentes para o seu negócio.

Feito isso, aja e, ao terminar o ciclo, avalie os aprendizados para o início do novo ciclo! Sucesso a todos em suas jornadas!

LinkedIn
YouTube
Twitter
Facebook
Instagram