Como seu negócio (re)age quando o assunto é aprendizagem?

Crises acontecem em todos os lugares a todo o momento. No contexto da gestão, crise é somente uma categoria de problema e o seu enfrentamento define o nível da nossa evolução. Historicamente, evolução da humanidade e das nossas relações, estreitou fronteiras culturais, comerciais e sanitárias.

A tal globalização – termo que nos parece antiquado ou desgastado – vem ganhando ondas de amplitude ao passo que nossos canais de comunicação evoluem. Da prensa de Gutemberg, passando pelo jornal, o telégrafo, o telefone, o rádio, a televisão, o fax, a telefonia celular até chegarmos na internet, estamos falando de pouco mais de 500 anos. Se considerarmos somente o tempo da televisão em diante, falamos de algo em torno de 95 anos e se pensarmos na internet com banda larga, pouco mais de 25 anos. E os smartphones então, recentes 10, talvez 15 anos de efetividade.

O cenário pandêmico que estamos vivendo em 2020 é consequência da nossa evolução, no meu entender. A última geração que viveu algo parecido, anda hoje pelos 100 anos de idade (são poucos para nos contar a história), sendo que àqueles tempos, a expectativa de vida era de 50 anos em média e hoje beira os 80 anos.

E o que isso tudo tem a ver com o seu negócio? Tem a ver em como ele aprende a cada ciclo. Todos os dias, semanas, meses, anos, o seu negócio cria a oportunidade de gerar um ciclo de aprendizagem. O que nos leva a alguns questionamentos: que aprendizados seu negócio está (de fato) usufruindo a cada ciclo? Como você sabe se seu negócio está em evolução ou em involução? O seu resultado é uma esperança ou é um objetivo a ser alcançado com ações definidas e ciclos de revisão para acompanhamento e aprendizado? Quais competências novas seu negócio precisa desenvolver e quais já não servem mais para a atualidade e precisam ser “desaprendidas”?

O cenário está posto. Podemos agir como espectadores ou como protagonistas. Podemos esperar que o mercado se mova ou escolher mover o mercado.

E o que fazer? Reflita sobre o que seu negócio aprendeu nos últimos anos que podem ser aplicados agora! Observe o que os seus clientes desejam nesse momento – que problemas eles querem resolver, o que eles mais precisam e o que seu negócio consegue entregar e/ou resolver para eles. Alinhe as expectativas do seu negócio com as necessidades e expectativas do seu cliente – isso contribuirá para uma melhor percepção de valor por parte do cliente e a construção de resultados mais consistentes para o seu negócio.

Feito isso, aja e, ao terminar o ciclo, avalie os aprendizados para o início do novo ciclo! Sucesso a todos em suas jornadas!

Micro e Pequenas Empresas eficientes fazem corporações competitivas

A complexidade do mundo dos negócios e da economia tem aspectos que distinguem esse período histórico de todos os demais já vividos pelos mercados. Um deles traz ao debate o conceito de cadeia produtiva, onde, num determinado arranjo (grupo) de empresas, é possível ver a olho nu um verdadeiro ecossistema tecido por grandes, médias e pequenas empresas. 

Se ajustarmos um pouco mais a lente, vislumbramos num único elo econômico, em geral, robusto, a presença de elos menores que sustentam a verdadeira musculatura dos negócios num determinado mercado. Vamos ilustrar com exemplos.

Imagine uma corporação que possui dezenas ou centenas de postos de combustíveis. Temos aí um grande CNPJ que lidera um expressivo número de outros CNPJs, os quais garantem a sobrevivência do negócio maior, que chamamos de Corporação. Esse exemplo vale para também para um grupo hoteleiro, rede de lanchonetes, fabricante de móveis, rede de farmácias ou grupo de concessionárias. Temos vários nomes para denominar esses elos econômicos: franqueado, autorizado, dealer, distribuidor e lojista, entre outros.

Todos os grandes CNPJs têm muitos desafios em relação a sua rede de micro CNPJs. Alguns deles estão, hoje, fortemente desafiados pela eficácia e eficiência de seus parceiros, os quais necessitam se qualificar em temas como liderança, gestão, serviços, logística, compras, finanças e pessoas. Adicionalmente, nesse roteiro imaginado aqui verificamos ainda que cada líder desses pequenos CNPJs carece que suas equipes de gestão deem respostas de qualidade para que o seu negócio corresponda aquilo que o mercado espera dele.

Finalmente, nem sempre um grande CNPJ tem tempo, meios e organização para capacitar o líder e a equipe dos elos menores de sua complexa rede. É aqui, exatamente, que entra a PME Academy. Estaremos disponíveis para que as redes de negócio nos utilizem como uma fonte de conhecimento que tem soluções de educação e ferramentas gerenciais para apoiar cada elo a andar na direção de resultados sustentáveis, perenes e efetivos.